LUCRO LÍQUIDO DA BRF CRESCE 216% NO 3º TRIMESTRE

Receita líquida avança 5,4% e atinge R$ 7,6 bilhões;

EBTIDA ajustado tem aumento de 61%

A BRF registrou lucro líquido de R$ 287 milhões no terceiro trimestre de 2013, crescimento de 216% em relação ao 3T12, com melhora na margem líquida de 2,5 pontos percentuais, atingindo 3,8% no período. O lucro bruto chegou a R$ 1,9 bilhão, 25% superior ao de igual período do ano passado, com aumento de margem bruta de 21,2% para 25,2%.

A receita líquida consolidada cresceu 5,4%, para R$ 7,6 bilhões, e o EBITDA ajustado atingiu R$ 911 milhões, o que representa avanço de 61% na comparação com o 3T12. A margem EBITDA ajustada alcançou 12%, ante 7,9% registrados no mesmo período de 2012.

Entre os fatores que contribuíram para o desempenho favorável no período estão os reflexos de melhorias operacionais e financeiras promovidas pela BRF, a recuperação gradual das exportações, com preços beneficiados pelo câmbio, e o incremento do portfólio de maior valor agregado, que contou com 41 novos produtos no trimestre, e melhores margens.

Os resultados, com crescimento da geração de caixa e menor alavancagem da companhia, estão em linha com o previsto no Plano de Aceleração, anunciado pela BRF em agosto, que direciona a empresa como referência global em seu segmento de atuação.

No período, a BRF investiu R$ 377 milhões, sendo R$ 127 milhões em ativos biológicos. Esses investimentos foram direcionados principalmente a aumento da capacidade produtiva, construção e ampliação de unidades e linhas, projetos de automação, melhoria de processos e em suporte.

Outros destaques do período foram o volume financeiro de ações negociadas, que atingiu uma média de US$ 80 milhões por dia, 6% superior ao do 3T12, e a escolha da BRF para integrar o novo índice do Pacto Global da ONU e o Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets pelo segundo ano consecutivo.

MERCADO INTERNO - A receita no mercado interno totalizou R$ 3,2 bilhões no 3T13, aumento de 3,4% na comparação a igual período de 2012, mesmo com um ambiente desafiador. Ainda com volume 16,3% menor, reflexo do consumo interno mais retraído e do impacto da venda de ativos e suspensão das marcas, o resultado operacional chegou a R$ 274,9 milhões, evolução de 49,5%; com margem de 8,6%, ganho de 2,6 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado.

MERCADO EXTERNO - No 3T13, as exportações somaram R$ 3,2 bilhões, alta de 6,3% ante o 3T12. O desempenho no mercado internacional ficou abaixo do esperado devido a alguns fatores conjunturais, entre os quais as fortes chuvas que atingiram o Porto de Itajaí e impactaram todas as atividades portuárias por diversos dias. Por outro lado, o cambio favorável, o crescimento da receita no mercado europeu e a retomada do ritmo de demanda na Ucrânia contribuíram para melhores preços e imprimem tendência favorável de desempenho para a BRF até o fim do ano.

LÁCTEOS - A continuidade da estratégia de melhoria do negócio com mix de produtos de maior valor agregado, como iogurtes, queijos e bebidas lácteas, permitiu uma receita no 3T12 de R$ 760 milhões no trimestre, crescimento de 9,8% no comparativo com o mesmo período. A margem operacional no segmento foi revertida com melhora expressiva de cinco pontos percentuais, atingindo 4,5% ante 0,5% negativo no 3T12. O desempenho resulta do melhor repasse de custos, mesmo diante do contexto de máxima histórica dos custos de captação de leite no campo.

FOOD SERVICES - Embora o cenário de desaceleração provocado pelo menor consumo fora do lar tenha se mantido no terceiro trimestre, as vendas na área de food services cresceram 5,8% em relação do 3T12, atingindo R$ 374,5 milhões de faturamento líquido. O resultado operacional do trimestre atingiu R$ 26,9 milhões, com margem operacional de 7,2%, contra 7,7% do mesmo período do ano passado, impactada pelo custo sensivelmente maior do que o preço médio aplicado no trimestre. No acumulado do ano, o lucro operacional teve melhora de 16,5%, levando a margem de 9,3% para 10,4%.

MERCADO ACIONÁRIO - As ações da BRF encerraram o trimestre cotadas a R$ 54,00 na BM&FBovespa, com valorização de 11,5% comparada ao fechamento do trimestre anterior. Na NYSE, os ADRs fecharam em US$ 24,53, valorização de 13%. O valor de mercado da companhia totalizou R$ 47,1 bilhões, crescimento de 11,3% em relação do 3T12. O volume financeiro negociado no 3T13 atingiu a média de US$ 79,9 milhoes/dia, crescendo 6% em comparação com o 3T12. Nos nove meses do ano, a média está 11% superior ao negociado em igual período do ano passado.

BRF

Comunicação Corporativa

Mapa de RI