Lucro líquido da BRF cresce 117,5% e chega à R$ 624 milhões no 3T14

Resultados mostram crescimento de 61,3% no EBITDA na comparação com o mesmo período do ano anterior e contínua redução da alavancagem

São Paulo, 30 de outubro de 2014 - A BRF fechou o terceiro trimestre de 2014 com lucro líquido de R$ 624 milhões, uma alta de 117,5% em relação ao 3T13. O EBITDA atingiu a marca de R$ 1,2 bilhão, um aumento de 61,3% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. O desempenho é consequência dos métodos e processos de gestão que vem sendo aplicados há um ano e demonstra a consistência dos resultados da Companhia, que vêm crescendo em rampa.

No 3T14, a Receita Operacional Líquida (ROL) consolidada atingiu R$8,0 bilhões, registrando um crescimento de 5,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior, impulsionada principalmente pelo Brasil. As iniciativas adotadas no mercado brasileiro já começaram a mostrar resultado positivo, como o projeto go-to-market (GTM), que contribuiu positivamente para o crescimento de 5,2% em volumes neste mercado na comparação com o 3T13. No mercado internacional, o desempenho também foi sólido, com elevação de 3,8% na ROL, atingindo R$ 3,4 bilhões, na comparação com o período análogo do ano anterior.

O desempenho de vendas e a melhora operacional proporcionaram queda na relação dívida líquida sobre EBITDA da Companhia, passando de 1,51 vez para 1,40 vez na comparação trimestral 2,29 vezes no 3T13.

O período também foi marcado pela celebração, junto à Parmalat S.p.A., empresa pertencente ao Groupe Lactalis, de um memorando de entendimentos de caráter vinculante estabelecendo os termos e condições para a alienação do negócio de lácteos, que aguarda aprovação do CADE. Essa operação integra, juntamente com a venda de duas plantas de abate de bovinos para a Minerva, a estratégia de desinvestimento de ativos que não fazem parte do core business da Companhia.

Ainda no 3T14, o Conselho de Administração da Companhia aprovou a nomeação de Pedro Faria para o cargo de Diretor Presidente Global da Companhia, com efeito a partir de 02 de janeiro de 2015. Pedro tem se dedicado à transição do comando com apoio do Conselho, do atual CEO Global, Claudio Galeazzi, e do corpo de executivos.

MERCADO BRASILEIRO

A ROL no Brasil atingiu R$ 3,5 bilhões, alta de 8,0% comparado ao mesmo período do ano passado, impulsionado pelo crescimento de volumes e bom desempenho no pequeno varejo. A conclusão dos processos de consolidação da força de vendas no pequeno varejo (fase inicial do go to market) e de simplificação de processos por meio do corte de SKUs, assim como a melhora no nosso nível de serviço, já começam a se traduzir em receitas superiores. A BRF já conta com uma aceleração no número de pontos de vendas atingidos, assim como maior venda cruzada entre as marcas.

O EBIT Brasil atingiu R$383 milhões, aumento de 39,2% em relação ao 3T13, com a margem subindo 2,5 p.p na mesma comparação, atingindo 11,1% no 3T14 ante 8,6% no mesmo período do ano anterior. A Companhia mantém ainda ampla liderança de market share nas categorias de Industrializados de Carne (51,1%), Congelados (58,7%), Pizza (50,8%) e Margarinas (58,8%).

MERCADO INTERNACIONAL

No trimestre, o segmento de carnes apresentou tendência de alta. Neste contexto, as estratégias de otimização de volumes e rentabilização dos mercados continuam gerando resultados positivos. Houve melhora estrutural de resultados operacionais. Vale ressaltar que só começamos a nos beneficiar da abertura do mercado russo a partir de setembro, já que anteriormente nossas plantas estavam banidas de exportarem para o país.

A ROL Internacional atingiu R$3,4 bilhões. Na comparação com o 3T13, houve um aumento de 3,8%. O EBIT Internacional atingiu R$413 milhões, crescimento de 221,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, com margem de 12,2% ante 4,0% no 3T13.

LÁCTEOS

No 3T14, a ROL de Lácteos atingiu R$ 767 milhões, alta de 0,9% no ano, impulsionada por uma elevação de preço médio de 9,0% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O volume foi 7,5% menor no período, explicado pela estratégia de rentabilização do mix de vendas. Na comparação entre os trimestres, houve incremento de 9,2% no faturamento líquido, devido ao aumento de volume de 7,2%. O EBIT de Lácteos atingiu R$ 68 milhões, alta de 98,9% em relação ao 3T13, com margem de 8,9% ante 4,5% no comparativo do mesmo período. Tal resultado foi influenciado por menores custos de captação de leite, maior eficiência e maior diluição de despesas.

FOOD SERVICES

No 3T14, a ROL de Food Services atingiu R$389 milhões, alta 3,9% na comparação com o ano anterior. O movimento foi favorecido pela elevação nos volumes de 3,0%, em especial nas categorias de elaborados/processados. Na comparação com o trimestre anterior, a ROL subiu 1,4%, devido a um incremento de volume de 3,9%. O EBIT de Food Services atingiu R$38 milhões, aumento de 43,0% em relação ao mesmo período de 2013, com margem de 9,9% ante 7,2% no 3T13. A queda nos custos de grãos, maior eficiência operacional e crescimento na diluição de despesas na comparação anual, contribuíram para o resultado positivo.

Mapa de RI